População ativa

População ativa

A população ativa representa todos os indivíduos que desempenham atividades remuneradas ou os que, embora não estejam empregados num determinado momento, se encontram à procura de emprego.

A população ativa inclui desta maneira os empregados e os desempregados.

 

Advertisements

Definição de trabalho

Definição de trabalho

Consideramos trabalho a toda a atividade fisica ou intelectual desempenhada pelo homem de forma remunerada e que tem como objetivo a produção de bens e serviços que venham satisfazer as suas necessidades

Fatores de que depende o consumo

Explicações Odivelas

Explicações Odivelas

Factores de que depende o consumo

Económicos
Rendimento dos consumidores;
Preço dos bens;
Inovação tecnológica;

Fatores económicos que influenciam o consumo, além do preço dos bens, são o rendimento dos consumidores e a inovação tecnológica. O nível de rendimento é decisivo para o consumo, pois quanto maior é o montante recebido pelos indivíduos, mais estes podem  dispor para utilizar em consumo

Fatores não económicos

moda

tradição

Destinos da poupança – importância do investimento

Destinos da poupança – importância do investimento

A poupança representa a parte do rendimento disponível que não é gasta em consumo.

Desta forma a parte do rendimento disponível que é dedicada à poupança pode ser aplicada de diversas formas.

Colocação financeira, Entesouramentos, Investimento

A colocação financeira: consiste na aplicação da poupança em produtos financeiros disponibilizados por intermédio de instituições financeiras. Temos como exemplo: os depósitos a prazo, as acções, as obrigações, os certificados de aforro, bilhetes do tesouro, os planos de poupança ou os fundos de investimento, uma panóplia de produtos tão variados que torna importante definir um critério para a sua escolha.

A seleção do produto mais adequado para cada aforrador deve ter em atenção os seguintes aspetos:

risco: se o produto garante, ou não, uma determinada rentabilidade ou se a sua taxa de rentabilidade é fixa ou variável;

rentabilidade: se o rendimento esperado do produto é mais ou menos elevado;

liquidez: se o título é mais ou menos facilmente convertível em moeda;

fiscalidade: se existem benfícios fiscais associados ao produto e o tipo de tributação que incide sobre os rendimentos daí derivados.

Entesouramento:  ocorre  quando a poupança fica à guarda dos seus proprietários ou, caso fique à guarda dos seus proprietários ou, caso fique à guarde de terceiros não tem como propósito a rentabilização do património, mas sim preservar o seu valor.

Temos como exemplo épocas históricas de hiper-inflação que o dinheiro perdeu tanto valor que os agentes económicos tentavam de todos os modos encontrar maneira de não perderem o valor.

Investimento: é uma outra alternativa para utilização da poupança. Neste caso canalizamos a poupança para a atividade produtiva e desta maneira manter ou aumentar a capacidade produtiva.

A poupança pode assim ser usada na substituição de equipamentos e na reposição de stocks das matérias primas utilizadas no fabrico de bens.

O investimento também pode ser designado de formação de capital e este divide-se em 2 componentes:

Formação bruta de capital fixo (FBCF), que designa o valor do investimento líquido realizado com a aquisição de bens duradouros (capital fixo) juntamente com o valor do capital fixo que foi consumido as amortizações. Podemos ter investimento de substituição ou investimento de capacidade.

Variação de existências: representa as oscilações dos stocks de existências entre dois períodos diferentes. Consideramos normalmente o período de 1 ano. O seu cálculo é efetuado pela subtração entre o valor das matérias primas, produtos semi-acabados e produtos acabados existentes no inicio do ano (dia 1 de Janeiro) ao valor existente no final do ano (31 de Dezembro), apurando-se, desse modo, as variações dos stocks de existências que ocorreram ao longo do ano.

Investimento quanto à natureza:

Investimento material: quando se refere à aquisição de bens tangíveis, compra de bens com existência física, bens corpóreos.

Investimento imaterial: quando se refere à aquisição de bens intangíveis, bens não corpóreos, como a prestação de serviços relacionados com a formação de I&D, aquisição de marcas, patentes, software informático, despesas com publicidade,etc….

Investimento financeiro: se envolve a aquisição de ativos financeiros, como, por exemplo, ações ou obrigações.

Investimento quanto à função

Investimento de substituição: ou de renovação pretende assegurar a manutenção da capacidade produtiva através da reposição do capital à medida que este vai sendo utilizado.

Investimento de inovação ou racionalização: permite manter os equipamentoss e os processos de fabrico tecnologicamente atualizados para garantir a eficiência e competitividade das unidades produtivas.

Investimento de capacidade: permite o aumento da capacidade produtiva da unidade de produção através da aquisição de mais bens de equipamento.

Investimento: quanto ao agente

Investimento Público: investimento em infra-estruturas públicas, como vias de comunicação, pontes, escolas ou hospitais.

Investimento Privado: Efetuado pelo Estado ou por agentes privados.

 

 

 

 

Bens Complementares

Dois bens completamentares quando o uso de um implica automaticamente o uso de outro. Nenhum dos bens pode sozinho satisfazer a necessidade.

Exemplo: O automóvel e a gasolina, o café e a água, o cigarro e o isqueiro.

Produção e Processo Produtivo

Produção é a atividade económica socialmente organizada que consiste em obter organizada que consiste em obter bens e serviços que se trocam habitualmente no mercado.

Processo produtivo: é a forma como se organiza a produção dentro de uma unidade produtiva.

Crises económicas e o desemprego

As crises económicas são um fator relevante de desemprego com carateristicas graves. Associada à crise económica ocorre uma redução da atividade económica o que implica uma redução da produção que promove a redução dos efetivos ativos, há nesta circunstância um aumento dos despedimentos e consequentemente do desemprego. O Desemprego aumenta bastante e normalmente de longa duração.

Acto Europeu

O acto unico europeu foi criado em 1 Julho de 1987, verificou-se que era necessário empreender reformas que permitissem melhorar em termos económicos as relações entre os estados membros. Desta forma foram calendarizadas etapas no sentido de se instituir um mercado único em 1992.
O mercado único pressupoem a livre circulação de pessoas, bens e mercadorias e capitais o que foi de extrema importância para cimentar as relações económicas entre os vários estados membros.

Preparação para Exame de Economia – 11º ano Loures/Odivelas

Preparação para Exame de Economia – 11º ano Loures/Odivelas
Happy Hour …. Pacote económico, período manhã 8:30 às 10:00, pacote 10h + 4h oferta
Apresentações em Powerpoint, resumo de toda a matéria. Resolução de exames de anos anteriores.
Contactos: 91 818 70 95,21 931 23 97, 93 56 86 111, email: info@kids.com.pt, site:www.kids.com.pt

Preparação para os exames

Aulas de economia

Divisão do trabalho

O trabalho executado por cada elemento para os outros, assume a forma da divisão social do trabalho o que possibilita os indivíduos de se especializarem em atividades específicas.
A revolução industrial, com a introdução das máquinas no processo produtivo, aprofundou esta divisão do trabalho aparecer novas tarefas, o que conduziu à especialização dos operários.
Atualmente os processos produtivos e, consequentemente, as formas de trabalho estão em mutação devido à informatização e á automatização.
A difusão da informática é atualmente uma realidade em todos os campos da vida económica e social, existindo programas informáticos específicos para todas as áreas de atividade e construidos em função das necessidades das empresas.
A informatização veio trazer mais rapidez, melhor qualidade e maior racionalidade a todos os setores da vida humana, na medida em que possibilita uma melhor programação das atividades e gestão de meios e tarefas.
Da mesma forma, a produção industroal beneficia também da automação. Os sistemas de automação permitem a produção sem a intervenção humana ao nível da execução da tarefa, temos como exemplo a pintura industrial de automóveis.
A aplicação de dispositivos automáticos nos processos produtivos industriais permite a flexibilização da produção no sentido de a adaptar às necessidades do mercado, nomeadamente introduzindo inovações no produto.
O grande contributo da automação de robots, que substituiram o homem nas tarefas mais dificeis e perigosas, fazendo baixar os custos de produção.