Os agentes económicos e o circuito económico

1. O circuito económico

A atividade económica corresponde a um conjunto de operações realizadas pelos agentes económicos que têm como objetivo criar bens e serviços suscetiveis de satisfazer as necessidades.

Assim a atividade económica

Produção — Distribuição — Repartição dos rendimentos(salários,rendas,juros,lucros)—utilização dos rendimentos(consumo,poupança).

Os agentes económicos são todas as entidades individuais ou coletivas que desempenham uma função na atividade económica.

Desta maneira classificamos os agentes económicos de acordo com a sua função principal.

Desta maneira temos: as famílias, as empresas, o Estado e o Resto do Mundo.

As empresas: são os agentes económicos que se dedicam à produção de bens e serviços. Podemos ainda distinguir entre empresas financeiras e empresas não financeiras. As empresas não financeiras são aquelas que produzem os bens e serviços não financeiros (normalmente designamos apenas de empresas). As instituições financeiras são as que comercializam produtos financeiros, como os bancos ou as seguradoras.

Famílias: neste grupo incluem-se todos os agregados familiares de um país. As famílias  constituem um agente económico porque representam uma importante  função económica o consumo.

Estado: este agente económico inclui a administração pública que tem como principal função promover a satisfação das necessidades coletivas. O Estado intervém na economia através da redistribuição dos rendimentos e do fornecimento de serviços, como a educação ou a saúde, de modo a satisfazer as necessidades da população.

Resto do Mundo: englobam-se todas as operações efetuadas entre um país e os restantes (Resto do Mundo). Aqui registam-se as transações realizadas entre os agentes económicos nacionais e os agentes económicos estrangeiros. Nos dias de hoje é praticamente impossível falar em economias fechadas, é praticamente impossível viver sem estabelecer relações de troca com outros países. A maior parte das economicas (nações) vive num modelo de economia aberta.

Agentes económicos e principal função:

Familias – Consumo de bens e serviços

Empresas não financeiras – produção de bens e prestação de serviços não financeiros

Instituições financeiras – prestação de serviços financeiros

Estado – fornecimento de bens e serviços que visam a satisfação das necessidades coletivas e redistribuição do rendimento.

Resto do mundo: realização de transações com agentes económicos.

Definições a ter em conta:

Circuito económico: é a representação esquemática dos fluxos que se estabelecem entre os diferentes agentes económicos.

Economia aberta: economia que estabelece relações de troca com o resto do mundo

Economia fechada: economia que procura ser auto-suficiente, não efetuando transações comerciais com o exterior.

Os agentes económicos interagem uns com os outros no desempenho das suas funções.

As famílias consomem os bens que as empresas não financeiras produzem e adquirem os serviços financeiros prestados pelas instituições financeiras. As familias servem como fonte de mão de obra, constituido assim a força de trabalho das empresas em troca recebem a sua remuneração.

Os individuos que trabalham para a administração pública recebem do Estado os seus vencimentos. No sentido contrário os agregados familiares entregam ao Estado sobre a forma de impostos que este cobra e as quotizações sociais. O Estado por seu lado, aplica as verbas que recebe dos cidadãos em políticas de redistribuição, através da atribuição de subsidios como também na produção de bens e prestação de serviços, procurando assim satisfazer o máximo as necessidades coletivas.

As empresas também estabelecem relações com a administração pública. O Estado consome bens, contrata serviços às empresas mediante o correspondente pagamento, por outro lado, cobra-lhes impostos e contribuições sociais.

Por último, as empresas, quando compram ou vendem bens ao exterior, estabelecem laços comerciais com outro agentes – transações com o Resto do Mundo.

Complementaridade entre as atividades:

Depois de realizada a produção, procede-se à repartição dos seus resultados pelos diferentes intervenientes no processo produtivo;
Com os rendimento obtidos, as famílias irão utilizar os seus rendimentos em consumo ou poupança;
Raramente as famílias adquirem os bens e serviços de que necessitam directamente ao produtor, funcionando neste caso os distribuidores que asseguram a disponibilização dos bens nos locais de consumo.

As relações que se estabelecem entre os diferentes agentes, denominam-se fluxos, podem ser reais ou monetários, conforme dizem respeito à troca de bens e serviços ou ao valor monetário dos bens e serviços transaccionados.

Desta forma falamos de fluxos reais quando nos referimos ao conjunto dos bens e serviços trocados entre os diferentes tipos de agentes económicos e fluxos monetários quando as transações de bens e serviços são expressas em moeda.

Existe outra forma de análise que se prende com os recursos (recebimentos) e os empregos (pagamentos) de cada agente económico.

Assim para um agente económico

Empregos: registam-se os pagamentos, os fluxos que correspondem às saídas.

Recursos: aqui registam-se os recebimentos , os fluxos que correspondem às entradas.

Por exemplo o agente económico famílias:

Empregos (Pagamentos)

  • às empresas não financeiras:
  • Despesas de consumo
  • Investimento (cedência de capital)
  • às instituições financeiros
  • depósitos
  • amortização de empréstimos
  • juros de empréstimos
  • prémios de seguro
  • Ao Estado
  • impostos
  • contribuições para a segurança social

Recursos (recebimentos)

Das empresas não financeiras

  • salários (funcionários)
  • Rendas (proprietários de imóveis)
  • Lucros (empresários)

Das instituições financeiras

  • juros dos depósitos
  • ordenados (dos funcionários)
  • empréstimos concedidos
  • indemnizações (em caso de sinistro)

Do Estado

  • Vencimentos (funcionários públicos)
  • transferências sociais (pensões, subsídios)

Agente económico Empresas não financeiras

Empregos (pagamentos)

às familias

  • salários
  • rendas (cedência de imóveis)
  • lucros (retorno do investimentos)

As instituições financeiras

  • depósitos
  • juros de empréstimos
  • amortização de empréstimos
  • prémios de seguro
  • lucros (retorno do investimento)

 

Ao Estado

  • Impostos
  • Contribuições para a Segurança Social

Ao Resto do Mundo

  • Valor das importações (nacionais)

Recursos (recebimentos)

Das famílias

  • Despesas de Consumo
  • Investimento

Das instituições financeiras

  • investimento
  • juros de depósitos
  • empréstimos concedidos
  • indemnizações

Do Estado

  • Despesas de consumo
  • subsídios à produção

Do Resto do Mundo

  • Valor das exportações (nacionais)

 

Equilibrio económico

A existência do equilíbrio económico implica por um lado que os recursos de cada agente sejam simultaneamente empregos de outros agentes e que o total dos empregos dos agentes seja igual ao total dos seus recursos.

Em resumo

Equilibrio económico

  • Total dos empregos = Total dos recursos
  • Cada recurso de um agente é emprego de outro

Agregados macroeconómicos

também a nível macroeconómico se vai observar o equilíbrio económico sendo que o Produto Nacional iguala a Despesa Nacional e o Rendimento Nacional.

PN = DN = RN

Em resumo :

Produto Nacional é o somatório de todos os bens e serviços produzidos por uma nação durante um determinado período de tempo (geralmente 1 ano).

A atividade produtiva de 1 país permite gerar rendimentos como os salários, os lucros, as rendas ou os juros. Os rendimentos

 

Questões de revisão:

 

 

 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s