Produção de bens e serviços

Rendimento disponível e consumo

O rendimento disponível, é pois o rendimento que após a soma de todos os rendimentos e transferências sociais descontada dos impostos e quotizações sociais.
O rendimento pessoal disponíve pode ser utilizada sob duas formas: em consumo e/ou em poupança.
Consumo: é a porção de rendimento destinada à aquisição de bens e serviços que permitem satisfazer necessidades.
Poupança: é a parte do rendimento que não é empregue em consumo, consistindo numa renúncia à satisfação imediata de necessidades, de modo a ser possível satisfazer necessidades no futuro.

Atividade Económica

A produção, a repartição do rendimento, o consumo e a acumulação são exemplos de aspectos da actividade económica.
A actividade económica encontra-se presente no nosso dia a dia e em grande parte dos nossos actos, competindo à economia estudar os problemas que com ela se prendem para os tentar resolver.

A actividade económica e os agentes económicos
Actividade económica– conjunto das funções de produção, consumo, distribuição, acumulação, repartição e troca. É possível caracterizar a actividade económica como o conjunto das tarefas que asseguram a existência de uma população, nomeadamente através da produção de bens e serviços, da repartição do rendimento criado nessa produção, da utilização de parte desse rendimento em consumo e na aplicação da parte do rendimento não utilizado – a poupança – em investimento, para garantir, no futuro, nova produção

Os recursos naturais

Designamos por recursos naturais todos os elementos que a natureza fornece ao Homem para satisfazer as suas necessidades. Estes recursos podem ser renováveis ou não renováveis.

Recursos renováveis: são aqueles que não se esgotam num curto espaço de tempo e que vão sendo substituidos periodicamente como por exemplo os recursos florestais, hidricos a energia eólica, energia solar, geotérmica, energia das ondas do mar, etc. Os recursos renováveis ainda não estão muito presentes no nosso país porque implicam grandes investimentos e também um profunda mudança de mentalidades e dos hábitos de consumo das pessoas.

Recursos não renováveis são os que não podem ser repostos pela natureza em tempo útil, a sua reposição só é possível num período de tempo muito longo que não acompanha o ritmo das necessidades humanas. Normalmente a sua utilização excessiva provoca danos no meio ambiente. As principais fontes de energia do nosso planeta são recursos não renováveis como o petróleo, o gás natural e o carvão.

Setores da atividade económica

Na década de 40 do século passado para organizar as diversas atividades produtoras de bens e serviços,  o economista Colin Clark dividiu a atividade económica em 3 setores: o setor primário, o setor secundário e o setor terciário.

No setor primário temos as atividades relacionadas com a recolha dos bens que a natureza disponibiliza como a agricultura, a pesca e pecuária e a silvicultura.

No setor secundário incluimos as industrias transformadores de matérias primas fornecidas pelo setor primário. Inclui por um lado as industrias ligeiras que são caraterizadas por um menor investimento e mais trabalho intensivo, como a indústria do calçado ou têxteis. Por outro lado, as industrias pesadas de capital intensivo, como a industria do cimento, metalurgicas, construção naval, produção de energia, etc.

No setor terciário, incluem-se os serviços e todas as atividades não abrangidas pelos outros setores. Temos como exemplos: a banca, as seguradoras, o comércio, os transportes, o turismo, a comunicação social, a educação, a defesa, a justiça,etc.

Cada um dos setores é subdividido em vários ramos de atividade, correspondendo a cada um deles uma atividade económica distinta. No caso de Portugal existem cerca de 49 ramos de atividade.

Vantagens inerentes à classificação da atividade económica:

Possibilita a deteção do contributo de cada setor na produção total de um país;

Permite analisar a evolução e o dinamismo dos vários ramos de atividade

Comparar os valores de um país com os de outros países e tirar conclusões acerca do seu nível de desenvolvimento.

Produção e processo produtivo

A atividade humana que permite a criação de bens e de serviços que possibilitam a satisfação das necessidades denomina-se produção.

É uma atividade remunerada que combina os vários fatores produtivo criando bens e serviços comercializáveis. Excluimos desta forma todas as atividade que, embora possam envolver a produção de bens e serviços, não sejam remuneradas, temos como exemplo o trabalho doméstico prestado por cada um de nós em nossas casas.

Desta forma, os bens são sujeitos a um conjunto de transformaçõs para estarem aptos a serem consumidos. O processo produtivo é então, o percurso que as matérias primas têm de fazer até se tornarem produto acabados aptos à satisfação das necessidades.

O fator trabalho

Não é da benevolência do homem do talho, do fabricante de cerveja ou do padeiro que esperamos o nosso jantar, mas sim da maneira como eles olham o seu próprio interesse. Não nos dirigimos à sua humanidade mas ao seu amor por si próprios, e nunca lhe falamos do nosso próprio interesse mas sim das vantagens que dele tiram”.
« A riqueza das Nações – Adam Smith 1776»

Trabalho

Considera-se trabalho a toda a atividade física ou intelectual desempenhada pelo homem de forma remunerada e que tem como objetivo a produção de bens e serviços para satisfazer as necessidades. Existem vários tipo de trabalho tendo exigências diferentes de aptidões ou conhecimentos que diferem de trabalho para trabalho.

O trabalho é considerado simples quando não é necessária a existência de uma qualificação específica e é complexo quando exige qualificações próprias que podem ser obtidas através da formação ou experiência

Melhorar a eficácia da produção

Progresso técnico
Organização do processo produtivo;
Formação dos recursos humanos;
Investigação e desenvolvimento (I&d).

Desemprego

O desemprego representa a situação de inatividade forçada da mão de obra abrange os que procuram um emprego mas que não o conseguem encontrar.

População desempregada é a parte da população ativa que, embora tenha capacidade para o exercício de uma profissão remunerada, temporariamente ou não e por razões alheias à sua vontade não estão a exercê-la.

Taxa de desemprego = (nº de desempregados/pop. ativa) X100

A taxa de atividade indica-nos a percentagem da população residente num país  com capacidadade para o exercício de uma atividade remunerada. Esta informação é importante para que os governos dos Estados, responsáveis pela poplítica macroeconómica, possam tomar as necessárias medidas económias e sociais.

Existem diferentes tipos de desemprego que dependem do período de tempo em que ocorre, das suas causas e do grau de dificuldade de o combater. As causas do desemprego podem ser estruturais, quando resultam de mudanças profundas na economia, ou conjunturais, se dizem respeito a fatores ciclicos, como, por exemplo uma recessão.

O desemprego de longa duração, representa a situação de quem se encontra à procura de emprego há mais de um ano. Quando este tipo de desemprego se prolonga por muito tempo, as pessoas deixam de receber subsídios, caindo muitas vezes numa pobreza geradora de exclusão social, o que dificulta ainda mais a obtenção de um emprego. No caso do desemprego temporário estamos perante uma situação passageira na qual as pessoas que se encontram entre 2 empregos, quando saíem têm um pequeno período até ingressarem noutro.

Desemprego estrutural resulta de um desfasamento entre as necessidades das empresas e as capacidades dos trabalhadores, por exemplo, quando os trabalhadores não acompanham o ritmo do progresso tecnológico. Normalmente, o combate a este tipo de emprego é complexo, uma vez que exige mudanças nos processis de ensino quer das novas gerações quer na formação dos profissionais atuais, sendo necessário um período de implementação. Como consequência, aparece o desemprego tecnológico que está relacionado com a dificuldade de acompanhamento da evolução tecnológica por parte dos trabalhadores e que afeta principalmente os grupos etários mais elevados.

O desemprego repetitivo, está relacionado com as pessoas que estão constantemente a mudar de emprego. Este tipo de desemprego está associado a baixas qualificações, faz-se sentir predominantemente nas camada mais jovens. Existe também desemprego sazonal, neste caso está relacionado com algumas atividades que apresentam ritmos de produção bastante variados ao longo do ano. Assim, as empresas nem sempre necessitam do mesmo nº de trabalhadores, originando mais desemprego nas épocas de menor atividade.

Formação ao longo da vida

Na atualidade vivemos numa época na qual o progresso tecnológico é muito acelerado o que implica uma permanente atualização de conhecimentos. Estamos na era da informação, em que não basta apostar na educação inicial, é sim precisa uma formação contínua ao longo da vida, caso contrário, rapidamente se fica desatualizado. A formação inicial deve promover em cada individuo o desenvolvimento de competências que lhe possibilitem, mais tarde ser autodidata, devendo procurar novos conhecimentos conforme for sentido necessidade.

Associada à formação ao longo da vida está a noção de empregabilidade, que representa o conjunto de competências de cada individuo que facilitam na obtenção de um emprego, ou seja, existe uma correlação entre a maior empregabilidade e a maior formação. A formação ao longo da vida contribui imenso para o aumento do grau de enpregabilidade de um individuo.

Fatores de Produção

Os fatores de produção consideram-se todos os elementos necessários ao fabrico de bens .

Consideram-se 3 tipos de fatores produtivos: os recursos naturais, o trabalho e o capital.

Este fatores combinados entre si permitem a obtenção de bens

O Homem recolhe da Natureza as matérias -primas necessárias para produzir bens capazes de satisfazer as suas necessidades, com o auxilio de ferramentas e equipamentos. As matérias (recursos) são transformados em produtos acabados através da força do trabalho do homem (trabalho) e de máquinas e utensilios diversos (capital).

Diferentes formas de trabalho

Trabalho manual: exige predominantemente um esforço físico

Trabalho inteletual: o que é exige predominantemente um esforço inteletual

trabalho direto: o que é realizado através do manuseamento dos objetos do trabalho

Trabalho indirecto: o que é realizado sem a atuação direta do executante

Trabalho de execução: que é executado sob a direção de outrém

Trabalho de direção: o que consiste no desempenho de funções de orientação, coordenação e gestão;

Trabalho de inovação: todo o trabalho de criação, pesquisa ou descoberta.

Diferentes tipos de trabalho

Trabalho directo;
Trabalho indirecto;
Trabalho simples;
Trabalho complexo;
Trabalho manual;
Trabalho intelectual;
Trabalho de execução, direcção, invenção.

Produtividade

De uma maneira geral chamamos produtividade à razão entre a produção de um bem e o nº de unidades de um determinado factor de produção necessário para o produzir

Produtividade do Capital

A produtividade do capital é a razão existente entre o valor da produção obtida e o valor dos factores produtivos utilizados.

Produtividade do trabalho

A produtividade do trabalho é o indicador da produção para o consumo de trabalho.
Se nos referirmos apenas a trabalho humano, a produtividade do trabalho num sector de produção calcular-se-à assim: Produtividade do trabalho = Valor da produção/ nº de trabalhadores utilizados.

Condições necessárias para melhorar a produtividade

Estão relacionadas com:
Boas relações entre os trabalhadores;
Boa formação dos trabalhadores;
Gosto pela inovação na produção.

Condições técnicas:
Quantidade e qualidade dos equipamentos que devem ser adaptados à mão-de-obra;
Organização científica do trabalho;
Controlo da produção

Lei das Economias de Escala

Quanto maior for a dimensão da empresa, menores serão os custos médios de produção, e, portanto, maior capacidade de competição no mercado.
A melhor combinação dos factores produtivos é a última (E), porque permite a maior produção ao mais baixo custo.
Verifica-se, assim, um princípio genérico conhecido por LEI DAS ECONOMIAS DE ESCALA (ou Lei das Economias de Grande Dimensão) que pode ser assim enunciada: as empresas de maiores dimensões produzirem a custos médios mais baixos.

As economias de escala surgem associadas

A uma maior divisão e especialização do trabalho;
A utilização da automação e de tecnologia mais avançada

A utilização de processos produtivos normalizados;
A maior capacidade de negociar os preços de venda do bem e as condições de crédito.

Deseconomias de escala

Situação que ocorre pelo aumento do custo médio devido ao aumento da dimensão da unidade de produção (empresa).

Fatores determinantes das deseconomias de escala:

Dificuldades de coordenação do trabalho

desperdícios

desmotivação dos trabalhadores

aumentos das tensões sociais

aumentos dos custos de produção de certas atividades como transportes

População ativa e inativa

População ativa representa todos os indivíduos que desempenham atividades remuneradas ou os que embora nãoo estejam empregados se encontrem à procura de emprego.

População inativa é composta por todas as pessoas que não desempenham atividades remuneradas onde se incluem os indivíduos com idade inferior a 15 anos ou superior a 64 anos. Os estudantes, as donas de casa, os deficientes, os inválidos, as crianças, os reformados ou os pensionistas fazem parte da população inativa.

Exercicios de revisão -3

1 – O critério que permite distinguir bens materiais de serviços é_

a – o tipo de desgaste sofrido pelos bens materiais

b – a natureza material ou imaterial dos bens

c – o grau de satisfação proporcinado pelos bens

d – a raridade ou a abundância dos bens materiais

2 – Podemos classificar as necessidades e os bens de acordo com vários critérios. Assim, o pão comprado pelas famílias é

a – um bem económico e satisfaz uma necessidade primária

b – um bem económico e satisfaz uma necessidade coletiva

c- um bem livre e satisfaz uma necessidade individual

d- um bem livre e satisfaz uma necessidade secundária

3 – Se dois bens, A e B, são sucedâneos, então, permanecendo tudo o resto constante (ceteris paribus)…

a – subindo o preço de B, tende a manter-se o consumo de A

b – subindo o preço de B, tende a aumentar o consumo de A

c- descendo o preço de B tende a aumentar o consumo de A

d – descendo o preço de B, tende a manter-se o consumo de A

4 – O consumo de matérias primas efetuado pelas empresas de fabrico de produtos acabados é um consumo …

A  – final

B – intermédio

C – Individual

D – Coletivo

5 – A taxa de desemprego traduz

A – a percentagem de desempregados relativamente à população ativa

B – a percentagem de inativos relativamente à população total

C – o nº  total de desempregados existentes num certo momento

D – o nº total de inativos existentes num certo momento.

6 – O trabalho utilizados na obtenção dos bens e serviços comercializáveis é um …

A _ rendimento primário

B – bem livre

C – recurso natural

D  – fator produtivo

7 – A população ativa de um pais é constituída…

A – por toda a população empregada desse pais

B – por toda a mão de obra disponível para a produção

C – pelos empregados e pelas donas de casa

D – pelos trabalhadores por conta de outrem

8 – Os recursos naturais que não se esgotam num curto espaço de tempo e que vão sendo substituídos periodicamente designam-se

A – recursos ambientais

B – recursos renováveis

C – recursos não renováveis

D – recursos energéticos

9 – A taxa de desemprego determina

A – o nº de desempregados

B – a percentagem de desempregados sobre a população total

C – a percentagem de desempregados sobre o total da população ativa

D – a percentagem de desempregados de longa duração

10 – A industria têxtil é englobada no setor

A – secundário

B – terciário

C – primário

D – quaternário.

11 – A taxa de atividade de um pais permite apurar

A – a relação percentual entre a pop ativa e a população ativa e a população inativa do pais

B – a relação percentual entre a população ativa e a pop total do pais

C – o nº de pessoas que fazem parte da população ativa do pais

D – o nº de pessoas empregadas.

11 – As donas de casa fazem parte:

A  – da pop ativa

B – da pop empregada

C – da pop inativa

D – da pop com idade compreendida entre os 25 e os 50 anos

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s